QUEM SOMOS NÓS

Minha foto
Somos uma organização marxista revolucionária. Procuramos intervir nas lutas de classes com um programa anticapitalista, com o objetivo de criar o Partido Revolucionário dos Trabalhadores, a seção brasileira de uma nova Internacional Revolucionária. Só com um partido revolucionário, composto em sua maioria por mulheres e negros, é possível lutar pelo governo direto dos trabalhadores, como forma de abrir caminho até o socialismo.

quarta-feira, 10 de fevereiro de 2010

Ato contra despejos no Rio de Janeiro

RIO DE JANEIRO - Às 10h de hoje ocorreu um ato em frente à Prefeitura do Rio de Janeiro, no Centro da Cidade. Os cerca de 200 manifestantes, muitos dos quais representantes de comunidades e ocupações urbanas estavam marcando presença contra uma série de despejos que estão para ocorrer na Zona Oeste da Cidade. Diversas organziações do Movimento Sem-teto carioca também estiveram presentes, como a FIST, o MTD e o MCL.

Tais despejos têm um objetivo muito claro: construir no local das comunidades uma Vila Olímpica para alocar os jogadores das Olipíadas de 2016. A Prefeitura alega que após os Jogos, o local será revertido em moradias populares. Agora vem a pergunta: se é que as pessoas que serão despejas realmente terão uma oportunidade para morar na Vila Olímpica, ONDE ELAS FICARÂO ATÉ QUE A COSNTRUÇÃO (E O USO PELOS ATLETAS) TERMINE?

Os sem-teto do Rio não se deixaram enganar pelo Prefeito facínora Eduardo Paes (PMDB) e cosntruiram um belo ato de união e resistência. São atos como esse que mostram que a união é a úncia solução para o Movimento Sem-teto da cidade, hoje rachado em diversas organizações, incluindo aí muitas ocupações que sequer estão integradas ao movimento (muitas das quais já foram despejadas, uma vez que não estão politicamente organizadas).

Uma traição

Após as intervenções feitas por diversos líderes de comunidades e também pelas diversas organizações presentes, uma comissão foi organziada para entrar na Prefeitura e se reunir com Paes. Porém, os seguranças trancaram os portões à cadeado e permitiram a entrada de apenas algumas das pessoas da comissão. Será que foi mera coincidência não terem permitido a entrada de dois advogados do movimento (um deles, companheiro da FIST)?

Imediatamente, uma multidão se aglomerou no portão para pressionar pela entrada dos demais membros da comissão. Porém, a representante de uma das comundiades da Zona Oeste desmobilizou a multidão fazendo apelos pacifistas e cantando o Hino Nacional. Um verdadeiro ato de covardia e uma enorme traição! Não só uma traição em relação ao ato, mas também em relação à própria comunidade que ela estava representando.

Um chamado à união

O Coletivo Lênin, em sua intervenção, convocou todos os lutadores presentes à participarem de uma reunião no próximo dia 21, às 14h, na sede da FIST. Tal reunião tem por meta discutir a possibilidade de se construir uma frente das organziações sem-teto com vistas à resistir aos ataques que já estão sendo lançados sobre o movimento. Essa reunião também servirá para preparar uma intervenção conjunta no próximo (Re)Unindo Retalhos, na perspectiva de que essa frente aglomere o máximo possível de militantes, tanto os independnetes quanto os organizados.

Aqueles que estiverem interessados em participar, enviem um e-mail para: imprensa@coletivolenin.org

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Mais lidas nesse mês:

Mais lidas do blog:

SEGUIDORES