QUEM SOMOS NÓS

Minha foto
Somos uma organização marxista revolucionária. Procuramos intervir nas lutas de classes com um programa anticapitalista, com o objetivo de criar o Partido Revolucionário dos Trabalhadores, a seção brasileira de uma nova Internacional Revolucionária. Só com um partido revolucionário, composto em sua maioria por mulheres e negros, é possível lutar pelo governo direto dos trabalhadores, como forma de abrir caminho até o socialismo.

segunda-feira, 4 de janeiro de 2010

Trabalhador(a), participe da Oposição Classista!

A Oposição Classista é uma corrente do movimento sindical.

O nosso objetivo é dar uma perspectiva política para as lutas dos trabalhadores. As lutas por salário e condição de trabalho não bastam. Para a nossa vida mudar de verdade, é preciso acabar com o sistema em que vivemos, que é baseado na exploração, no racismo e no machismo. Por isso, combinamos as lutas imediatas com as lutas por bandeiras anticapitalistas, que apontem para uma nova sociedade, governada pelos trabalhadores: o socialismo.

A perda desse objetivo geral, nas últimas décadas, levou os sindicatos a uma grande crise. Hoje, as lutas estão dispersas. E a maior parte dos sindicatos jogam a favor dos patrões, acabando com os nossos direitos. A direção da CUT, que é a maior organização dos trabalhadores brasileiros, está cada vez mais longe da base, colaborando com o Governo de Lula com os grandes empresários.

Para nós, o sindicalismo só pode sair da crise em que está se começar a organizar os terceirizados. Os terceirizados são, na grande maioria, mulheres e negros. Isso mostra que é impossível separar a luta pelo socialismo da luta contra o machismo e o racismo.

Temos que organizar os trabalhadores por local de trabalho, através de comissões de empresa clandestinas, nos sindicatos controlados pelos patrões. Ao mesmo tempo, devemos participar dos sindicatos e da CUT, como oposição. Em todos os casos, devemos defender um programa anticapitalista:

Redução da jornada de trabalho para 36 horas, para acabar com o desemprego! Crítica à política da direção da CUT (PT), que transformou a campanha em um ato na vida e outro na morte, sem mobilizar as categorias.

Formação de comissões de empresa, para organizar os terceirizados! Direitos iguais para trabalho igual! Incorporação dos terceirizados nas empresas, com todos os direitos!

Incorporação da remuneração variável (participação nos lucros, comissões, gratificações etc) aos salários, como valor fixo!

Contra o racismo, o machismo e o preconceito contra os homossexuais! Salário igual para trabalho igual! Creches financiadas pelas empresas! Todos os direitos trabalhistas e previdenciários para casais do mesmo sexo.

Ocupação das empresas falidas sob controle dos trabalhadores!

Solidariedade aos trabalhadores em todo o mundo! Contra o Mercosul e os Tratados de Livre Comércio! Contra as intervenções militares do governo brasileiro, como no Haiti! Defesa de Cuba!

Temos que romper com o petismo! O governo Lula mostrou que é impossível mudar radicalmente a situação dos trabalhadores através das eleições. Precisamos de uma revolução socialista, que crie o governo direto dos trabalhadores, através de suas assembléias. Para lutar pelo governo direto dos trabalhadores, precisamos criar o Partido Revolucionário dos Trabalhadores, com maioria de mulheres e negros!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Mais lidas nesse mês:

Mais lidas do blog:

SEGUIDORES