QUEM SOMOS NÓS

Minha foto
Somos uma organização marxista revolucionária. Procuramos intervir nas lutas de classes com um programa anticapitalista, com o objetivo de criar o Partido Revolucionário dos Trabalhadores, a seção brasileira de uma nova Internacional Revolucionária. Só com um partido revolucionário, composto em sua maioria por mulheres e negros, é possível lutar pelo governo direto dos trabalhadores, como forma de abrir caminho até o socialismo.

terça-feira, 7 de dezembro de 2010

Ato de solidariedade internacional em SP

Reproduzimos a seguir nota da Liga Bolchevique Internacionalista (LBI) convocando para um importante ato de solidariedade internacional ao preso político Mumia Abu-Jamal, ex-militante dos Panteras Negras (EUA).

Todos ao ato do dia 10/12 em solidariedade a Mumia Abu-Jamal!
Via LBI.org

A campanha mundial em defesa da liberdade a Mumia Abu-Jamal, ex-militante do grupo guerrilheiro “Panteras Negras”, convoca para este dia 10 de dezembro uma Jornada Internacional de Solidariedade, realizando mobilizações exigindo o fim de sua prisão perpétua do cárcere imperialista e a sua não condenação à pena de morte. Mumia encontra-se aprisionado há quase trinta anos pela acusação falsa de matar um policial que espancava seu irmão. Tornou-se um ícone pela emancipação do povo negro, pobre e oprimido dos guetos e pela luta contra o racista sistema penitenciário ianque e a arcaica pena de morte aplicada pelos tribunais dos EUA.Justificar
No Brasil, a LBI soma-se à convocatória para o ato que se realizará nesta próxima sexta, às 10 horas da manhã, em frente ao consulado dos EUA em São Paulo, localizado na rua Henri Dunant, 500, Santo Amaro, zona sul da capital paulista. É indispensável a participação de todas as organizações que se reivindicam marxistas, do ativismo de esquerda, dos sindicatos classistas e dos movimentos sociais que advogam a luta histórica do povo negro pela abolição de sua escravidão que se perpetua sob as formas modernas.

Reafirmamos neste momento que a única forma de se liquidar definitivamente com o racismo que o companheiro Mumia Abu-Jamal combate, assim como por um fim aos mecanismos estatais que enquadram unilateralmente os oprimidos como criminosos e os dividem em raça para melhor explorá-los, é colocar a mobilização proletária pela via da ação direta revolucionária, pondo em xeque toda a ordem de exploração capitalista e sua estrutura institucional repressora.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Mais lidas nesse mês:

Mais lidas do blog:

SEGUIDORES