QUEM SOMOS NÓS

Minha foto
Somos uma organização marxista revolucionária. Procuramos intervir nas lutas de classes com um programa anticapitalista, com o objetivo de criar o Partido Revolucionário dos Trabalhadores, a seção brasileira de uma nova Internacional Revolucionária. Só com um partido revolucionário, composto em sua maioria por mulheres e negros, é possível lutar pelo governo direto dos trabalhadores, como forma de abrir caminho até o socialismo.

quinta-feira, 24 de maio de 2012

Dia de paralisação mobiliza os municipários de Porto Alegre


Fonte: CEDS (Centro de Estudos e Debates Socialistas), uma corrente da CSP-CONLUTAS, que atua principalmente no Rio Grande do Sul



Dia de paralisação mobiliza os municipários de Porto Alegre

Os municipários de Porto Alegre estão em campanha salarial e realizaram paralisação nesta terça-feira, dia 22, para pressionar o governo a reabrir as negociações com a categoria. Na última sexta-feira, dia 18, o governo Fortunati (PDT) comunicou o cancelamento de todas as reuniões de negociação agendas.

As principais reivindicações econômicas da categoria são: 15% de reajuste – correspondente a reposição do IPCA e perdas acumuladas –; reajuste do vale alimentação para R$ 21,60 e cumprimento da lei que prevê a equiparação das faixas iniciais ao salário mínimo nacional. Em relação a esta última, o governo vem descumprindo a própria lei que criou, desde janeiro de 2012. Aproximadamente dois mil servidores estão recebendo como vencimento básico valor inferior ao salário mínimo nacional.

O Executivo não reconhece as perdas salariais e, até o momento, mantém sua postura autoritária de não negociar com a categoria. Por isso, os municipários, após a assembleia geral, foram em passeata até a Câmara Municipal para solicitar à Mesa Diretora que faça a mediação necessária junto ao governo para reabrir o processo de diálogo e negociação com a categoria.

GOVERNO OPTA PELO ENFRENTAMENTO

O governo Fortunati tentou desmobilizar e desqualificar a mobilização, mas não teve êxito. Pela manhã, o Paço Municipal ficou lotado de servidores. Após o ato público, saíram em passeata até a Secretaria Municipal de Educação onde denunciaram a política de perseguição aos servidores que estão lutando por seus direitos.

A direção do SIMPA foi surpreendida com o discurso do governo de que o sindicato está fazendo uma disputa eleitoral, que a mobilização da categoria não tem nada a ver com a campanha salarial. Além disso, o Executivo divulgou que o sindicato assinou um acordo bianual, ou seja, que este ano não haveria campanha salarial.

Para Carmen Padilha, Diretora-geral do Sindicato, estas informações são falsas e estão a serviço de dividir e desmobilizar os municipários “A categoria está em campanha salarial desde o inicio do mês de abril e a grande mobilização realizada no dia da paralisação comprova isso. O governo está tentando confundir a população, quem está preocupado com as eleições é o prefeito Fortunati que busca sua reeleição”
No acordo assinado em 2011 não consta que a categoria renunciaria a reivindicação das perdas salariais acumuladas e que o sindicato não organizaria a campanha salarial em 2012.

ASSEMBLEIA GERAL APROVA CALENDÁRIO DE MOBILIZAÇÃO

A assembleia geral dos municipários aprovou a continuidade da mobilização para reabrir as negociações com o governo. Além disso, aprovou que a categoria irá acompanhar o depoimento da Secretária Municipal de Educação, Cleci Jurach, na CPI do Instituto Ronaldinho.

No próximo dia 28, haverá reunião ampliada do Conselho de Representantes. Nova assembleia será realizada no dia 5 de junho, no Centro de Eventos do Parque Harmonia, para avaliar o movimento e tomar as devidas providências para avançar nas negociações sobre a pauta de reivindicações. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Mais lidas nesse mês:

Mais lidas do blog:

SEGUIDORES