QUEM SOMOS NÓS

Minha foto
Somos uma organização marxista revolucionária. Procuramos intervir nas lutas de classes com um programa anticapitalista, com o objetivo de criar o Partido Revolucionário dos Trabalhadores, a seção brasileira de uma nova Internacional Revolucionária. Só com um partido revolucionário, composto em sua maioria por mulheres e negros, é possível lutar pelo governo direto dos trabalhadores, como forma de abrir caminho até o socialismo.

sexta-feira, 6 de julho de 2012

CARTA ABERTA AOS COLETIVOS E MILITANTES INDEPENDENTES QUE CONSTROEM A GREVE ESTUDANTIL


Declaração da Juventude em Luta, a nova corrente classista do movimento estudantil, atuante na UFRJ, na UERJ e na UNIRIO


CARTA ABERTA AOS COLETIVOS E MILITANTES INDEPENDENTES QUE CONSTROEM A
GREVE ESTUDANTIL

Companheiros e companheiras;

                A greve das Universidades Federais já é, sem dúvida, a maior dos últimos dez anos. Essa luta, que se espalhou para outros setores do funcionalismo público e impulsionou também a greve estudantil, já faz sentir suas primeiras consequências para o avanço do movimento. A instalação do Comando Nacional de Greve Estudantil, no dia 18 de junho, foi o fórum mais plural já realizado pelo movimento estudantil desde 2003.

Comando de Greve Estudantil: um passo importante.

                O fato de esse comando de greve ter se construído por fora das estruturas engessadas da UNE e também por fora do projeto particular do PSTU, a ANEL, mostra que a base estudantil está preocupada com reivindicações concretas e não apenas com a artificial e burocrática guerra de entidades à qual já se tentou reduzir o movimento estudantil.
                Sem dúvida, trata-se de um grande avanço.
                É necessário que esse avanço se materialize em um salto de qualidade no movimento com a conquista de reivindicações concretas dos estudantes em um horizonte de retomada do movimento estudantil combativo organizado principalmente em fóruns unitários.
                Para isso, é necessária uma atuação firme no sentido de se garantir que esse novo fenômeno esteja oxigenado pela democracia de base e livre da asfixia da burocratização. Nesse sentido, a atuação conjunta de diversos coletivos antiburocráticos é mais do que necessária; é, antes de tudo, urgente para que se garanta o avanço do movimento.

Um balanço necessário

                Porém, o que se viu na instalação do Comando de Greve Estudantil foi uma prática perigosa e capaz de ameaçar o avanço do movimento.
Alguns companheiros denunciam que houve a prática de se tratorar alguns ativistas da base para que os mesmos não tivessem acesso aos ônibus e vans e, consequentemente, não estivessem presentes no Rio de Janeiro.
Durante muitos anos se criticou os fóruns da UNE porque neles a UJS/PCdoB tenta impedir estudantes da oposição de serem ouvidos pela base. Por isso, durante suas falas, fazem manifestações gestuais ou vaias sistemáticas para impedir que os mesmos possam falar. Porém, surpreendentemente, instalado o Comando de Greve dos Estudantes, houve por parte de correntes que compõem a Oposição de Esquerda na UNE e também por parte do grupo majoritário da ANEL atitude semelhante durante as falas que não lhes convinham. O certo seria permitir todas as falas e fazer manifestações apenas após o seu término, garantindo assim a democracia do movimento.
Além disso, no início da assembleia, foi votado que após as falas de todos os delegados, dez intervenções seriam destinadas ao restante do plenário. A mesa, contudo, representando os interesses das correntes majoritárias, não se esforçou minimamente para garantir esse tempo, impedindo que quem não se sentisse contemplado pelas falas dos delegados tivesse espaço na assembleia.
                Não bastasse tudo isso, ainda foi aplicado o trator na sistematização das propostas, o que gerou um documento construído a partir de acordos entre as correntes políticas hegemônicas pelas costas do plenário e sem levar em conta as pautas que os delegados trouxeram da base e expressaram em suas falas. Desse modo, o espaço de defesa das propostas se transformou unicamente em um palco de briga entre a ANEL e a direção majoritária da UNE, deixando para segundo plano as demandas reais estudantis.
                São práticas que impedem os grupos menores de se expressarem e são capazes de engessar o movimento afastando-o da base, degenerando-o em um movimento de acordos entre as forças hegemônicas diante dos quais os delegados têm apenas o papel de legitimação. É a velha burocratização sendo colocada em prática tanto dentro da UNE quanto fora dela.

É preciso superar a burocratização

                Apesar das investidas burocráticas, a greve está apenas começando e a instalação do Comando de Greve dos Estudantes é algo progressivo que pode alcançar vitórias. Os velhos métodos não estão enraizados nesse espaço e podem ser superados de forma a se recuperar o movimento para um caráter combativo e construído pela base.

Por uma greve de vitórias construída pela base.

                Por esse motivo, chamamos todos os estudantes independentes e os coletivos que não se submetem à lógica da polarização entre aparatos, para uma intervenção conjunta, desde a base do movimento até a sua expressão no Comando de Greve. Para que se construa, desse modo, um movimento que expresse as reivindicações reais e necessárias do movimento e que se contraponha à prática burocrática da disputa por aparatos e da política do trator. Esse é o único caminho para se construir uma greve vitoriosa e colocar o movimento em um patamar muito mais avançado.
                Como contribuição da Juventude em Luta para a construção deste movimento, levantamos as seguintes demandas:

- PASSE LIVRE, BANDEJÃO, MORADIA, CRECHE E XEROX GRATUITOS EM TODOS OS CAMPI! BOLSA DE ASSISTÊNCIA ESTUDANTIL DE ACORDO COM AS DEMANDAS DOS ESTUDANTES!

- POR UM DEBATE URGENTE EM FAVOR DO FIM DO VESTIBULAR! EXPANSÃO COM QUALIDADE DA EDUCAÇÃO PÚBLICA E ESTATIZAÇÃO DA EDUCAÇÃO PRIVADA, AMBAS SOB O CONTROLE DOS TRABALHADORES E DOS ESTUDANTES!

- PELA INCORPORAÇÃO DO SETOR TERCEIRIZADO NA LUTA GREVISTA POR DIREITOS, BUSCANDO O FIM DA TERCEIRIZAÇÃO COM A CONTRATAÇÃO IMEDIATA DESTES TRABALHADORES!
               
 - CONTRA O MACHISMO, O RACISMO E A HOMOFOBIA, E QUALQUER OUTRO TIPO DE OPRESSÃO!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Mais lidas nesse mês:

Mais lidas do blog:

SEGUIDORES