QUEM SOMOS NÓS

Minha foto
Somos uma organização marxista revolucionária. Procuramos intervir nas lutas de classes com um programa anticapitalista, com o objetivo de criar o Partido Revolucionário dos Trabalhadores, a seção brasileira de uma nova Internacional Revolucionária. Só com um partido revolucionário, composto em sua maioria por mulheres e negros, é possível lutar pelo governo direto dos trabalhadores, como forma de abrir caminho até o socialismo.

terça-feira, 19 de fevereiro de 2013

Onda de desocupações em todo o Brasil!

Foto: Charge para o Mtst Trabalhadores Sem Teto: Agnelo, o Negociador!

NOVO PINHEIRINHO DE BRASÍLIA PREPARA RESISTÊNCIA AO DESPEJO http://www.mtst.org/index.php/inicio/496-novo-pinheirinho-de-brasilia-prepara-resistencia-ao-despejo.html


Nos últimos dias, os governos têm feito uma onda de despejos de ocupações gigantesca, já preparando o cenário para a Copa do Mundo, no ano que vem. Vamos repassar aqui só alguns dos informes, e os companheiros que estiverem envolvidos em outros processos de luta podem mandar as informações para a gente. Diante dessa situação, não existe outra opção além da solidariedade sindical-popular-estudantil para resistir!


1) Novo Pinheirinho/Taguatinga

Aqui está o informe mais recente do MTST.


2) Che Guevara/Messias/AL

Fonte: Movimento Terra Livre

MESSIAS A NOVA PINHEIRINHO DO BRASIL

Trezentas famílias que ocupavam desde 2008 um terreno nas margens da BR-101, de propriedade da prefeitura de Messias foram despejadas neste 18 de fevereiro de 2013. A ação repressiva contou com a presença de mais de 350 policiais da Força Nacional, BOPE, Cavalaria, Policia montada. Polícia civil, criminalística, Bombeiros, Helicopteros, Ambulâncias etc. Verdadeiro arsenal de guerra foi elaborada para a reprimir jovens, velhos, crianças e mulheres. Foi realizada ação de isolamento da BR e de toda area, em que foram impedidos de circular a imprensa e qualquer pessoa, a comunidade foi isolada e ninguém podia sair ou entrar, documentar ou filmar. Trabalhadores foram espancados, surrados e violentados, lideranças foram presas, entre elas um dos lider do Movimento Terra Livre, outros tiveram que fugir do local. Todas as casas foram derrubadas, móveis e mobilas foram destruidas pelos tratadores, caterpillar, retroescavadeiras. A ameça pairou sobre todas as cabeças e continua na região.
O efetivo papel do Estado burguês mostrou sua cara, numa ação conjunta dos poderes executivo e judicial, que usou seu braço repressivo para espalhar terror e pânico na região. A disposição das lideranças dos movimentos Terra Livre e Liga dos Camponeses pobres para negociar com os representantes do Estado de nada adiantou. Todos estão literalmente na rua neste momento, nenhuma assistência foi garantida. A prefeitura ofereceu somente um galpão aberto e abandonado para guardar provisoriamente o que restou dos móveis de algumas familias, desde que fosse naturais da cidade de Messias. Os demais devem retornar a suas cidades de origem. A ordem é dispensar o movimento dos sem-teto. A ação repressiva do Estado teve como propósito acabar com qualquer possibilidade de resistência e impedir futuras organizações.
Desde modo o Governador Teotônio Vilela (PSDB), o prefeito Jarbas Omena (PSDB) e o juiz da cidade são os efetivos responsáveis por toda ação violenta. O processo de reintegração de posse levado pela Prefeitura através da intervenção do governo do estado no nome do secretário de Articulação Social, Claudionor Araújo, tem como propósito instaurar na área um novo pólo industrial, apesar de este terreno nunca ter sido usado e o governo do estado somente agora revelar interesse pelo mesmo.
O governo do Estado e a prefeitura de Messias são as representações na cena política do carater mentiroso e covarde da burguesia, que não tem palavra e não tem moral. Eles estão dispostoos a oferecer tudo ao capitalistas e os usineiros e somente miseria e fome para os trabalhadores sem-teto e os trablhadores do campo e da cidade. Ao invés de assegurar o compromisso de retirada da comunidade somente quando fossem construídas as novas moradias populares para as famílias em outra área, como concordado nas negociações na Prefeitura e junto dos representantes do Governo do Estado.
É importante que estudantes, trabalhadores, operários, denunciem a nova Pinheirinho do Brasil. Abaixo à repressão e à criminalização dos movimentos sociais. Vejam um pedacinho da violência no endereço abaixo.
 
 
3) Parque Cocaia/SP
 
 
 
4) Dandara/MG
 
Fonte: Brigadas Populares
 
 
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Mais lidas nesse mês:

Mais lidas do blog:

SEGUIDORES