QUEM SOMOS NÓS

Minha foto
Somos uma organização marxista revolucionária. Procuramos intervir nas lutas de classes com um programa anticapitalista, com o objetivo de criar o Partido Revolucionário dos Trabalhadores, a seção brasileira de uma nova Internacional Revolucionária. Só com um partido revolucionário, composto em sua maioria por mulheres e negros, é possível lutar pelo governo direto dos trabalhadores, como forma de abrir caminho até o socialismo.

quinta-feira, 6 de fevereiro de 2014

Copa do Mundo: trotskistas sulafricanos falam sobre a edição de 2010


Reproduzimos aqui o balanço que os companheiros do WIVP (Partido de Vanguarda Internacionalista dos Trabalhadores), uma organização trotskista sulafricana, fizeram sobre a Copa de 2010. Qualquer semelhança não é mera coincidência. Faz parte do nosso dever internacionalista trocar experiências e divulgar as lutas dos companheiros, principalmente porque ainda existe infelizmente muito desconhecimento da esquerda brasileira e mundial sobre a luta de classes na África.


Superexploração – sinta, está aqui!
Mostramos como o imperialismo é o maior beneficiado pela Copa do Mundo de 2010

A mídia capitalista fez uma campanha de 6 anos, pra convencer a classe média e a classe trabalhadora dos benefícios da Copa do Mundo de 2010 na África do Sul. Os esforços que os imperialistas fizeram para promover a copa do mundo são bem parecidos com quando eles instigam os sentimentos nacionalistas numa população para apoiarem o fascismo. Dirigentes da COSATU (Confederação Sindical da África do Sul) participaram do comitê organizador da copa, dando a cobertura perfeita para os imperialistas espoliarem o país em plena luz do dia. Apesar de milhares de trabalhadores se endividarem para comprar ingressos (parcialmente como resultado do apoio dos dirigentes da COSATU à copa), mesmo assim os capitalistas não conseguiram lotar os estádios. O SACP (Partido Comunista Sulafricano) e sua tendência na direção da COSATU tentaram impor uma “paz social” durante a copa do mundo, mas foram derrotados pelos trabalhadores em greve no serviço público municipal, portos e ferrovias. Os dirigentes do SACP não foram totalmente derrotados, eles ainda adiar/impedir a greve geral contra os aumentos de energia (o ataque pesado à classe trabalhadora representado por um aumento de 34% nas tarifas entrou em vigor em 1° de julho, apesar de uma reunião marcada entre os capitalistas, o governo e dirigentes sindicais no dia 14 de julho para “negociar”).

A primeiro ponto que podemos aprender com a copa do mundo é que, em geral, quando os capitalistas tentam vender alguma coisa, eles vão “pintá-la de cor de rosa”, exagerando as suas qualidades, até terem o dinheiro em mãos. Depois disso, quando surgirem sentimentos negativos, os capitalistas também vão ganhar dinheiro com isso. Assim, a seleção primeiro foi pintada como favorita, alguns jogadores foram até mesmo comparados a Einstein. Os mesmos capitalistas que não se importavam com a forma como os trabalhadores chegam em casa do trabalho num sistema de transporte público totalmente inadequado, de repente se tornaram os “campeões” do transporte público, criando um sistema de transportes especial (com ajuda dos seus lacaios, o governo sul-africano) de ônibus a cada 5 minutos e trens a partir de 2 da manhã, para que os capitalistas pudessem garantir o lucro de bilhões com a copa. A bandeira nacional foi promovida como um símbolo de “unidade da nação”. Nós mostraremos aqui que a bandeira nacional na verdade representa os interesses capitalistas imperialistas, e que existe uma divisão fundamental na sociedade entre a classe trabalhadora, a maioria, e um punhado de capitalistas.


Contando os custos

Uma estimativa conservadora dos custos é de cerca de 100 bilhões de rands (moeda da África do Sul). Nós chegamos a este número assim: O projeto
Gautrain (um megaprojeto de transporte ferroviário) custa estimadamente R35 Bilhões (o custo inicial era de R5 bilhões). Os 5 estádios novos custam cerca de R3 bilhões cada, um total de R15Bi. Os 5 estádios reformados juntos custam mais R5 bi. O orçamento nacional e provincial para estradas foi de R17bi em 2004-5; se estimarmos que um aumento “real” o teria dobrado no período até 2010, isso nos leva a R34 bi para 2009-2010; mas o orçamento real foi de R49 bi, mais R15 bi para o ano passado. Uma estimativa conservadora sobre estradas e transportes para o período dos 6 anos passados, devido à copa, é, assim, de mais R20 bi. A reforma dos aeroportos custa mais R6 bi. Devemos somar mais R15 bi se considerarmos a construção de um novo terminal no aeroporto OR Tambo e do novo aeroporto em Durban. Se somarmos o custo dos novos hotéis e flats, muitos dos quais ainda estão vazios, e que foram construídos sob o pretexto do aumento dos turistas em 2010, assim como a rede de ônibus “rápidos” quase toda vazia, a construção de acampamentos de torcedores, a reforma de várias instalações para as seleções (a maioria sem uso), a reforma das instalações médicas próximas aos estádios (como a unidade médica de R50 milhões do hospital Somerset), os novos ônibus para cada uma das 32 seleções, podemos ver que o custo total é de bem mais de R100 bi.

O estádio Athlone foi reformado ao custo de R400 mi, e usado somente por um dia, durante a copa.

Enquanto a maioria dos hospitais públicos não têm os medicamentos essenciais para tuberculose, doenças cardíacas, diabetes etc, as novas unidades médicas de 2010 para os milionários do futebol continuam em grande parte vazias e com os estoques cheios. Leva meses para marcar uma operação, mas todas as operações marcadas para os dias dos jogos da copa foram adiadas nas instalações que os gângsteres da FIFA acharam por bem destinar exclusivamente para as divas do futebol.

Milhões de camisas bafana bafana T-shirts, vuvuzelas e bandeiras da África do Sul, fabricadas nos campos de trabalho escravo imperialistas dos EUA na China, foram vendidas para as massas a dez vezes o seu preço real. As massas não só se sacrificaram para pagar os altos preços dos ingressos como, dentro dos estádios, e acampamentos para torcedores, eram forçadas a pagar o triplo do preço da comida que já é cara.

Considerando o custo real de uma moradia (e não os preços superinflacionados) como R40 000, seria possível construir 2,5 milhões de casas novas, o que tornaria possível acabar com a falta de moradia em 6 anos; foi uma escolha consciente manter as massas em estado de desespero e sem teto para manter um clima de preços altos especulativos, com os bancos como principais beneficiários (através do seu controle sobre a terra, as empresas de construção e as altas taxas de juros dos aluguéis). Os maiores acionistas de todos os bancos locais são os parasitas que controlam os bancos imperialistas, principalmente em Wall Street, Londres, Paris e Berlim.

Isso aponta quem foram os maiores beneficiários da copa do mundo de 2010. Os números acima não incluem os mais de R20 bi que a FIFA ganha dos seus patrocinadores, os mais de R2 bi das vendas de ingressos, hotéis e franquias, e os bilhões arrancados pelas agências de apostas parasitas. Também não inclui os gastos extras de bilhões para estender a força policial, assim como a maior militarização do aparato repressivo, gastos sob o pretexto da copa do mundo, mas na verdade preparando um punho de ferro para esmagar o descontentamento crescente da classe trabalhadora. Pense somente no trabalho infantil e escravo para os patrocinadores da FIFA, como a Nike e a Adidas, fábricas no Paquistão, China etc.

.
O Imperialismo foi o maior vencedor da copa do mundo

Bem antes da torcida parar, os verdadeiros vencedores da copa do mundo, os imperialistas, estão rindo a caminho do banco. Quando novos “gênios do futebol” levantarem um troféu de ouro e ouvirem que são os campeões do mundo, os imperialistas vão estar se felicitando por outro golpe bem executado, e planejarão o próximo (as Olimpíadas?).

As empresas imperialistas de construção (Murray & Roberts, WBHO, Grinaker-
LTA, Group Five, BAM holandesa, Bouygues francesa) foram os principais instrumentos para tirar bilhões, em lucros, da classe trabalhadora. Nós vamos examinar somente uma, mas os princípios são os mesmos para todas. Os principais gângsteres foram a Murray & Roberts (chamada erradamente pelo jornal Workers World News da ILRIG de “sul-africana”). Os principais acionistas da Murray & Roberts são bancos da Wall Street, como JP Morgan Chase, State street, SSB etc. Mesmo Liberty Life, que também é controlada pelo imperialismo, também é acionista da Murray & Roberts. Murray & Roberts tinha uma grande fatia dos contratos de construção de estádios, o Gautrain e outras infraestruturas capitalistas. Em 2008, Murray & Roberts tinha contratos de R30 bi e encomendas de R100bi. Os lucros declarados publicamente da Murray & Roberts em 2009 foram mais de R2 bi (os lucros reais são muito maiores, por exemplo, o fato de que o valor do Gautrain subiu de R5 bi para R35 bi mostra que houve lucros massivos para os capitalistas). Usando 2007 como base, o aumento nos dividendos pagos por eles foi de 69%, e 88%, respectivamente em 2008 e 2009, e isso no período da assim chamada recessão mundial.

Assim, mesmo publicamente, os lucros de uma das empresas imperialistas de construção foram da ordem de bilhões (e não de milhões, como ILRIG, Grupo Internacional de Pesquisa e Informação Trabalhista, uma ONG sulafricana, subestima). Enquanto isso, somente no ano passado, mais de um milhão de empregos acabaram, e houve uma grande perda líquida de postos de trabalho nos últimos seis anos. Mesmo o governo capitalista do CNA admitiu que muitos dos postos fechados não se justificaram mesmo pelos padrões capitalistas; os “campeões da classe trabalhadora”, os dirigentes da COSATU, derramaram apenas lágrimas de crocodilo, enquanto se recusavam a organizar uma resistência unificada contra o ataque dos capitalistas.

Os imperialistas já estão fazendo propaganda sobre assim chamados ataques xenofóbicos depois da copa do mundo; na verdade, eles estão sinalizando que sabem que somente desviaram a atenção das massas por um tempo, e que elas logo entrarão no caminho da resistência, como foi na Grécia e no Quirguistão; os imperialistas estão preparando gangues fascistas para dividir a classe trabalhadora e levantar sentimentos nacionalistas contra os nossos irmãos, escravos negros do resto da África, como instigaram em 2008, na época em que as massas do Zimbábue estavam prestes a derrubar através da revolução o lacaio imperialista Mugabe.

Os maiores beneficiários da copa do mundo de 2010 são os bancos imperialistas. A direção CAN-SACP-COSATU, pelo seu papel na promoção da copa do mundo, não são nada mais que lacaios e agentes do imperialismo. A classe trabalhadora precisa romper com a burguesia, isso significa romper a aliança com os proimperialistas CNA e SACP e construir um partido operário revolucionário como parte de uma internacional revolucionária. Para nós, isso é a refundação da Quarta Internacional.

Superexploração – sinta, está aqui!
Revolução – sinta, está chegando!


2 de julho de 2010

2 comentários:

  1. Realmente, os camaradas sul africanos passaram pelo mesmo que nós estamos passando. Seria interessante a obtenção de dados para saber se a repressão estatal foi a mesma que estão fazendo aqui.

    Saudações revolucionárias!

    ResponderExcluir

  2. Willian,

    essa é uma pergunta interessante, seria melhor talvez perguntar direto ao pessoal do WIVP. Aqui tá o grupo deles no Facebook (é em inglês, mas tem gente que fala espanhol):

    https://www.facebook.com/groups/529536603792294/

    Saudações Comunistas!

    ResponderExcluir

Mais lidas nesse mês:

Mais lidas do blog:

SEGUIDORES