QUEM SOMOS NÓS

Minha foto
Somos uma organização marxista revolucionária. Procuramos intervir nas lutas de classes com um programa anticapitalista, com o objetivo de criar o Partido Revolucionário dos Trabalhadores, a seção brasileira de uma nova Internacional Revolucionária. Só com um partido revolucionário, composto em sua maioria por mulheres e negros, é possível lutar pelo governo direto dos trabalhadores, como forma de abrir caminho até o socialismo.

terça-feira, 11 de fevereiro de 2014

NOTA DE REPÚDIO À VIOLÊNCIA DA POLÍCIA MILITAR (Fórum de Lutas contra o Aumento/RJ)


O Fórum de Lutas repudia a brutal violência cometida pela Polícia Militar do Rio de Janeiro que vitimou várias pessoas na manifestação do dia 06 de fevereiro de 2014. Uma tropa que mostrou seu caráter de inimiga da população atirou bombas químicas contra manifestantes absolutamente desarmados que reivindicavam o direito a um transporte público, gratuito e de qualidade para os trabalhadores e a juventude. Muitas pessoas se feriram. Um senhor, ao tentar fugir das armas químicas da PM, foi atropelado por um caminhão e veio a falecer. Muitos jovens foram agredidos covardemente e, como se isso não bastasse, a PM, efetuou diversas prisões arbitrárias.

Nos solidarizamos com a família do cinegrafista Santiago Andrade, vitimado na batalha de rua provocada pela PM e que, infelizmente, veio a falecer. Esse caso tem sido explorado pela grande imprensa de forma irresponsável em mais uma tentativa de criminalizar as manifestações. Trata-se de um verdadeiro circo armado com o objetivo desesperado de angariar legitimidade para seguir reprimindo as manifestações e iniciar uma caça às bruxas contra militantes, partidos e demais organizações da esquerda. Reafirmamos que a Polícia Militar do Rio de Janeiro, por sua ação inaceitável, é a verdadeira responsável por esse e todos os acontecimentos trágicos do dia 06 de janeiro. Os governos federal, municipal e estadual também são responsáveis, pois comandam a barbárie militar e não toleram que os trabalhadores e a juventude questionem suas políticas nas ruas. Por esse motivo, os governos têm interesses em acobertar as mentiras e os crimes praticados pela PM.

O trágico acontecimento da morte do jornalista Santiago Andrade também é responsabilidade dos patrões, donos do oligopólio das comunicações. A categoria dos jornalistas é explorada ao extremo. Esses profissionais são enviados para coberturas arriscadas sem os mínimos equipamentos de proteção. Além disso, têm suas vozes sufocadas na medida em que os fatos registrados precisam passar pela censura dos interesses dos donos dos grandes impérios jornalísticos. Defendemos a total democratização dos meios de comunicação, com transferência da propriedade dos grandes meios para os coletivos independentes pertencentes aos movimentos sociais de trabalhadores para que a população possa, de fato, ter acesso à verdade dos acontecimentos e não a versões fantasiosas movidas por interesses políticos e econômicos dos donos do oligopólio das comunicações existente no Brasil, verdadeiro resquício da ditadura.

O Fórum de Lutas lembra que, consideradas também as manifestações do ano passado, já são muitas as vítimas graves da violência policial contra manifestantes. Um jovem de São Paulo chegou e perder um olho. Outro jovem, baleado com três tiros de arma letal disparados pela PM, segue em estado grave. No ano passado, dois jovens de Minas gerais morreram ao cair de uma ponte devido a vôos rasantes dos helicópteros da PM durante as manifestações. Como já era esperado, nenhum dos policiais envolvidos nesses crimes foi punido. Ao contrário, porém, diversos manifestantes foram presos injustamente sendo o caso mais grave o do morador de rua Rafael Vieira. Vítima da violência policial e da conivência do Judiciário, segue preso sem ter praticado crime algum.

A responsabilidade da Polícia pelos acontecimentos trágicos ocorridos nas manifestações é tão evidente que nas duas passeatas anteriores à do dia 06 de fevereiro, não havia grande efetivo da polícia e, consequentemente, não houve nenhum tipo de acontecimento indesejado pela sociedade. A Polícia Militar é a verdadeira provocadora e, como tal, deve ser afastada das manifestações. Importante lembrar que a Polícia Militar do Rio de Janeiro tem a prática de infiltrar seus agentes secretos no meio das manifestações para provocar fatos trágicos, como por exemplo, o lançamento de um coquetel molotov durante manifestação em 2013. Tudo isso como tentativa desesperada de justificar a única resposta que os governos autoritários têm para o povo: repressão e violência. O que eles não sabem é que o povo já não se submeterá mais a essa política criminosa.

O Fórum de Lutas é solidário a todas as vítimas da violência policial, tanto nas manifestações como nas favelas e periferias e defende o fim do massacre que sofre a população pobre, negra e trabalhadora. Defendemos também o total direito à manifestação. Protestar não é crime. FORA A POLÍCIA DAS MANIFESTAÇÕES, FAVELAS, COMUNIDADES E PERIFERIAS!!

Rio de Janeiro, 11 de fevereiro de 2014.
Fórum de Lutas do Rio de Janeiro


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Mais lidas nesse mês:

Mais lidas do blog:

SEGUIDORES