QUEM SOMOS NÓS

Minha foto
Somos uma organização marxista revolucionária. Procuramos intervir nas lutas de classes com um programa anticapitalista, com o objetivo de criar o Partido Revolucionário dos Trabalhadores, a seção brasileira de uma nova Internacional Revolucionária. Só com um partido revolucionário, composto em sua maioria por mulheres e negros, é possível lutar pelo governo direto dos trabalhadores, como forma de abrir caminho até o socialismo.

quarta-feira, 22 de abril de 2015

MELHORES MOMENTOS DA ESQUERDA GOLPISTA!


Existem setores da esquerda que adoram apoiar qualquer tipo de movimento de massas, independente do conteúdo político. Por isso, muitas correntes por aí apoiaram a derrubada do Kadafi com apoio da OTAN, a Irmandade Muçulmana na Síria, o golpe militar egípcio, o golpe de direita na Ucrânia etc. Se é assim no exterior, não poderia deixar de acontecer a mesma coisa no Brasil. Então, vamos mostrar aqui os melhores momentos das organizações de esquerda que participaram dos atos da direita contra a Dilma, no dia 12 de abril.


1) PSTU

Dessa vez, o prêmio não vai para o PSTU. Com medo de se queimar mais do que já tá queimado, o partido levantou a palavra de ordem "Chega de Dilma, PMDB, PSDB etc", que não quer dizer nada, só pra não dizer que não chamou o Fora Dilma. Além disso, de forma incoerente com a sua política, não participaram dos atos da direita. 








2) Movimento Negação da Negação

Se o PSTU não teve coragem de levar à conclusão lógica a sua política de que o PSDB e o PT são a mesma coisa e chamar Fora Dilma do mesmo jeito que já chamou Fora FHC, o MNN não teve medo de se misturar com a direita na palavra de ordem. Mas só na palavra de ordem, porque eles não tiveram coragem de ir aos atos e apanhar como pessoas com camisa vermelha, até de times de futebol, apanharam


3) Movimento Revolucionário Socialista
Mais corajoso que o MNN, o MRS deu uma aula de morenismo para o PSTU. Eles foram para as manifestações, como mostra a foto abaixo, chamando "trabalhadores ao poder" diante da base predominante de classe média e militares. Por algum motivo que a gente não consegue nem imaginar, eles não usaram camisas vermelhas e não tem nada falando em socialismo nos cartazes.



4) MEPR 

Mas os vencedores são os nossos queridos companheiros do MEPR, que participaram do ato em Belo Horizonte. Também sem bandeiras vermelhas, eles criticaram não só o governo como as viúvas da ditadura, assim emblocando com o Movimento Brasil Livre, que também considera que os manifestantes pró-ditadura queimam o movimento golpista. Estranhamente, na lista de partidos que eles mencionam, falta o PSDB. Mas não podemos dizer que o MEPR não é coerente. Bota gente na rua pela derrubada do governo do PT e não condena ataques à sede do PSTU, mas tenta ganhar o respeito da classe média anti-PT, militares e da "média burguesia", que eles                                                                                                consideram aliados na revolução de Nova                                                                                                  Democracia.

Depois de rir muito com essas fotos, nos resta tentar entender como esses setores podem chegar a posições tão absurdas. Nós do Coletivo Lênin acreditamos é que falta de contato real com a classe trabalhadora e falta de compreensão do método marxista de análise da sociedade. Por isso que nós, do CL estamos construindo a Frente Comunista dos Trabalhadores, que agrupa revolucionários que estão atuando nos movimentos (metalúrgicos, sem-tetos, professores etc) com a perspectiva de uma frente antifascista, antiimperialista e anti-golpista!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Mais lidas nesse mês:

Mais lidas do blog:

SEGUIDORES