QUEM SOMOS NÓS

Minha foto
Somos uma organização marxista revolucionária. Procuramos intervir nas lutas de classes com um programa anticapitalista, com o objetivo de criar o Partido Revolucionário dos Trabalhadores, a seção brasileira de uma nova Internacional Revolucionária. Só com um partido revolucionário, composto em sua maioria por mulheres e negros, é possível lutar pelo governo direto dos trabalhadores, como forma de abrir caminho até o socialismo.

sexta-feira, 30 de agosto de 2013

Atos de 30 de agosto: Todo apoio à classe trabalhadora que luta nas ruas e nos sindicatos! É preciso combater o Governo, a direita e os burocratas!


Estamos agora iniciando o mês de Setembro e ao contrário do que a direita, a Globo e de todos aqueles que foram às ruas cantar o hino nacional e não voltaram mais; a luta permanente da classe trabalhadora contra a burguesia e o Estado continua com toda a força. As centrais sindicais se viram pressionadas pelas lutas que vem acontecendo desde Junho e foram obrigadas a tomar alguma atitude para não deixar passar em branco esse importante episódio da luta de classes no Brasil.

Foi tirado mais um dia nacional de paralisações e lutas. Diferente do dia 11 de Julho, no entanto, as centrais patronais e governistas rumaram pelo caminho do peleguismo e da desmobilização que já estão acostumadas a trilhar. Aqui no Rio, isso ficou claro com o rompimento da unidade com as centrais que minimamente combatem o Estado (CONLUTAS E Intersindical) e a decisão de fazer um ato de fachada separado das lutas reais.

Isso se deve em primeiro lugar a um fator muito simples. A palavra de ordem “FORA CABRAL” está na ordem do dia, principalmente agora com a greve dos professores e trabalhadores da educação. As centrais sindicais, principalmente a CUT e a CTB, aparelhadas respectivamente pelo PT e PCdoB (que compõem a base do governo federal com o PMDB) estão diretamente atreladas ao Governo Cabral do PMDB. O mesmo Governo responsável pelas UPP’s, pelo assassinato do Amarildo e de tantos outros trabalhadores e pala repressão diária da classe trabalhadora nas favelas, nas greves e nas manifestações e lutas contra as injustiças sociais.

A única maneira de passar por cima da direita que controla as centrais sindicais que só existem no papel e da burocracia criminosa da CUT e CTB é mobilizar os trabalhadores e trabalhadoras nos locais de trabalho para compor as fileiras das luta reais contra o Estado e os patrões. A classe trabalhadora organizada é a única capaz de dar uma reposta à altura a todos os problemas que a burguesia e Cabral não conseguem e nunca conseguirão resolver. Temos que ajudar na mobilização de todas as categorias, marcar assembleias, fazer de tudo para que esse dia não seja só "pra inglês ver", colocando em movimento milhões de trabalhadores. Essa é a maneira de revitalizarmos o movimento, e de impedirmos que os pelegos continuem a desviar e derrotar as lutas.

Além disso, precisamos aproveitar esse momento para dizer que o principal problema não é esse ou aquele governador. Que mesmo expulsando Cabral do seu trono, a derrota sobre a burguesia só será definitiva quando os trabalhadores não dependerem mais de governantes corruptos para decidirem seu destino. Esse debate quase não tem sido feito dentro do movimento. As organizações maiores, como o PSOL e o PSTU se recusam a fazer essa agitação nas centrais sindicais que dirigem (CONLUTAS e Intersindical) com a desculpa de se distanciar das massas. O problema é que enquanto se usa isso como desculpa, muito pouco se faz para a construção de uma nova sociedade e pela solução verdadeira dos problemas da classe trabalhadora. Por isso achamos necessário defender neste 30 de Agosto:

- FORA CABRAL! Por um Governo dos trabalhadores!
- Todo apoio à greve dos professores!
- Estatização do sistema de transportes e tarifa zero, financiada por impostos progressivos!
- Nacionalização do Pré-Sal e 100% dos seus lucros para a Saúde e a Educação! Por uma PETROBRAS 100% pública e estatal, sob controle dos trabalhadores.
- Pela redução da jornada de trabalho, sem redução de salários, para acabar com o desemprego.
- Que os trabalhadores cuidem da sua própria segurança. Pelo fim da polícia violenta e racista!
- Apoio às lutas dos camponeses pela terra!

Um comentário:

Mais lidas nesse mês:

Mais lidas do blog:

SEGUIDORES