QUEM SOMOS NÓS

Minha foto
Somos uma organização marxista revolucionária. Procuramos intervir nas lutas de classes com um programa anticapitalista, com o objetivo de criar o Partido Revolucionário dos Trabalhadores, a seção brasileira de uma nova Internacional Revolucionária. Só com um partido revolucionário, composto em sua maioria por mulheres e negros, é possível lutar pelo governo direto dos trabalhadores, como forma de abrir caminho até o socialismo.

quarta-feira, 26 de agosto de 2015

O MAIOR PERIGO DO MOMENTO

O MAIOR PERIGO DO MOMENTO

O "já ganhamos", o maior perigo do momento


Enquanto conspiração segue seu curso a todo vapor e a frente golpista homogeniza sua tática para derrubada de Dilma e prisão de Lula ... 

"Oposição acerta com Cunha estrategia para impeachment de Dilma" 

... Burocracia da CUT comemora perigosamente vitória antes do tempo, acreditando que "terceiro turno" (eufemismo covarde para o Golpe de Estado) foi sepultado no dia 20 com as manifestações de rua e a denúncia contra Eduardo Cunha no STF.

"Com 100 mil pessoas, ato em São Paulo sepulta terceiro turno e exalta democracia. Vagner Freitas: “Agora, voltamos a pensar o Brasil, buscando um entendimento nacional que propicie um desenvolvimento com distribuição de renda”"

Parágrafos finais da Declaração "Não ao Golpe!"

Os trabalhadores devem combater a direita por todos os meios, construir uma Frente Única anti-imperialista e antigolpista com as organizações de massa do país, a CUT, o MST, o MTST, como nas manifestações do dia 20 de agosto, exigindo que os aparatos destas organizações de massas que convoquem e construam uma verdadeira greve geral contra o Golpe.
Pela criação de comitês de Luta nas fábricas, nos bairros, nos sindicatos em defesa dos nossos direitos e contra qualquer movimento golpista, aliados ao armamento e milícias sindicais e populares para defender os partidos de esquerda, sindicatos, associações, etc.; a anulação de todas as medidas antioperárias e antipopulares neoliberais de Lula e Dilma e seguir a luta pela estatização dos setores estratégicos e energéticos do Brasil, dos recursos naturais nas mãos dos estrangeiros imperialistas, sob o controle dos trabalhadores, a suspensão dos direitos de concessões a mídia golpista, a nacionalização das empresas (incluindo igrejas) que patrocinam o golpismo pró-imperialista. Toda esta luta contra a direita, o imperialismo e o golpe de Estado, cuja vítima principal será a classe trabalhadora, como já estamos vendo pelo simples fortalecimento dos setores de direita no Congresso (redução da maioridade penal, terceirização, reforma política, etc.), também deve estar combinada a estratégia da superação das ilusões das amplas massas no covarde e aburguesado PT, na luta por um partido operário e revolucionário que conduza os trabalhadores a tomada do poder através da revolução social.

Assinam: Frente Comunista dos Trabalhadores (Liga Comunista, Coletivo Lenin-FO, Espaço Marxista e Tendência Revolucionária) e Fração Trotskista-Vangurada Proletária 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Mais lidas nesse mês:

Mais lidas do blog:

SEGUIDORES