QUEM SOMOS NÓS

Minha foto
Somos uma organização marxista revolucionária. Procuramos intervir nas lutas de classes com um programa anticapitalista, com o objetivo de criar o Partido Revolucionário dos Trabalhadores, a seção brasileira de uma nova Internacional Revolucionária. Só com um partido revolucionário, composto em sua maioria por mulheres e negros, é possível lutar pelo governo direto dos trabalhadores, como forma de abrir caminho até o socialismo.

terça-feira, 24 de janeiro de 2012

Solidariedade diante da catástrofe no Pinheirinho! (Declaração do Coletivo Lênin)

Solidariedade diante da catástrofe no Pinheirinho!



    Desde o domingo passado (22/01), estamos ajudando a furar o bloqueio da mídia. Participamos da manifestação no Rio de Janeiro, que teve mais de 200 participantes. Estamos divulgando pela Internet todas as notícias sobre os acontecimentos no Pinheirinho. Agora é que tivemos tempo de escrever uma análise política inicial da remoção e do seu impacto no movimento.


    As mentiras da imprensa dos ricos

    Em relação às notícias, o pior agora é que a mídia empresarial está tentando criar uma cortina de fumaça sobre o número de mortos na desocupação. Os jornais não confirmaram nenhum morto.

    Os companheiros da LC, que estão lá, falaram que existem muitos desaparecidos. Já foi entrevistada uma enfermeira que falou sobre pacientes em estado grave sumindo dos hospitais (provavelmente sequestrados para não contarem oficialmente como mortos). 

    Temos que desmentir as mentiras da polícia, do Estado e dos meios de comunicação, e deixar claro que existe uma estratégia para esconder as vítimas da operação. Pra variar, a mídia tenta criminalizar o movimento, dizendo que os mortos que apareceram nos últimos três dias no Pinheirinho tinham sido assassinados pelo tráfico e que toda a comunidade era uma cracolândia!

    Que estranho! Num conflito com a polícia, o tráfico prefere matar moradores resistindo à mesma polícia!

    Devemos entender a realidade: o que aconteceu no Pinheirinho é uma grande derrota. Representa um salto no aumento da repressão, que está acontecendo para preparar o cenário da Copa do Mundo e das Olimpíadas. Para os grandes empresários lucrarem com o turismo, eles não se importam em destruir alguns milhares de vidas humanas!



    O significado da derrota
    A derrota no Pinheirinho é comparável à derrota da greve dos petroleiros em 1995. Foi quando o governo FHC (do mesmo PSDB de Alkmin), para avançar a sua política neoliberal, mandou tanques de guerra para a refinaria da REDUC, provocando um forte refluxo das lutas.

    Nessa derrota, o responsável direto é o PSDB, mas o PT é cúmplice! O governo do PT com os empresários nada fez para resolver o conflito de uma forma que garantisse a moradia. O senador Eduardo Suplicy foi ao Pinheirinho no sábado antes da remoção, garantindo que a situação estava regularizada. Não temos como saber agora se isso foi feito de propósito, da mesma forma que o PT sabota várias greves e mobilizações. Mas, mesmo se Suplicy agiu de boa fé, ele só foi lá criar ilusões mortais na justiça dos ricos, o que desmobilizou os moradores num momento crítico.

    Os responsáveis pela derrota do movimento foram o PSDB e o PT, que se vendeu há muito tempo à classe dominante. A vitória da luta só seria possível uma frente única de massas em escala nacional para defender os moradores. Mas o PT, que dirige a maioria esmagadora do movimento dos trabalhadores, nunca poderia se parte dessa frente. O compromisso do PT em governar com as grandes empresas e preparar a Copa e as Olimpíadas coloca o partido no mesmo lado de Naji Nahas, o corrupto que roubou a Bolsa de Valores do Rio de Janeiro e grilou o terreno do Pinheirinho na década de 1970, como foi documentado pela Folha de São Paulo.

    O PSTU dirigiu a luta no Pinheirinho, inclusive formando autodefesas que foram essenciais para a resistência contra a invasão da polícia. Mas levantou políticas que, mesmo não tendo sido a causa da derrota, serviram de obstáculos para o movimento. Por isso, temos que fazer uma crítica fraternal aos companheiros, sem atacá-los cegamente como fazem algumas organizações sectárias.

    O tempo todo o PSTU acreditou que a luta poderia pressionar a justiça a ficar do lado do povo. Isso é impossível, porque a justiça é comprada e controlada pelos empresários. Criar ilusões na justiça ajudou a deixar os moradores mais despreparados. Além disso, o PSTU limitou as suas ações de solidariedade às direções sindicais da CONLUTAS, em vez de tentar criar paralisações, greves e passeatas de outras categorias para defender o Pinheirinho.
    

    Nossa resposta

    Agora, existem duas tarefas principais para todo o movimento. Temos que nadar contra a corrente, já que existe uma fragmentação e crise muito grande no movimento dos trabalhadores, que está desorientado e sem a perspectiva de uma alternativa de sociedade.

    Primeiro, temos que fazer uma ampla campanha de solidariedade financeira aos moradores desabrigados. Temos que mostrar a todos os trabalhadores que os moradores do Pinheirinho não são uma realidade distante, que todos fazemos parte da mesma classe. Precisamos recolher o máximo de dinheiro, comida e roupas nos nossos locais de trabalho, moradia e estudo.

    A CONLUTAS está recolhendo doações através do

    Banco do Brasil
    agência  4223-4
    c/c 8908-7
    Em nome da Central Sindical e Popular CONLUTAS


    A segunda tarefa é garantir que os moradores não fiquem ao relento. A precisão da polícia é de demolir tudo até o meio-dia da quarta feira (25/01). A CONLUTAS, a Intersindical, o MST, o MTST, a FIST e outras entidades e movimentos devem criar uma campanha por moradia de qualidade para todos, na mesma região, financiada integralmente pelo Estado.
  

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Mais lidas nesse mês:

Mais lidas do blog:

SEGUIDORES