QUEM SOMOS NÓS

Minha foto
Somos uma organização marxista revolucionária. Procuramos intervir nas lutas de classes com um programa anticapitalista, com o objetivo de criar o Partido Revolucionário dos Trabalhadores, a seção brasileira de uma nova Internacional Revolucionária. Só com um partido revolucionário, composto em sua maioria por mulheres e negros, é possível lutar pelo governo direto dos trabalhadores, como forma de abrir caminho até o socialismo.

quinta-feira, 3 de junho de 2010

SERVIDORES MUNICIPAIS DE JUIZ DE FORA VÃO À LUTA CONTRA PSDB

Depois de sofrer um amargo reajuste de 0% em 2009, as diferentes categorias de servidores ligados à Prefeitura de Juiz de Fora compreenderam a necessidade de se unirem para poder conquistar melhores condições de trabalho. Reunidos no Fórum Sindical, quatro sindicatos declaram que só aceitariam negociar coletivamente e reivindicaram 15% de reajuste salarial. Foram eles o Sinserpu (CGTB), o Sinpro (CUT), o Senge (CUT) e o SindMédicos.

Tal unidade na luta começou a ser traçada efetivamente em dezembro de 2009, quando uma tentativa frustrada da administração Custódio Mattos (PSDB) de atacar os direitos dos servidores aglutinou em um mesmo espaço de resistência essas diferentes categorias do funcionalismo público.

Em 2010, apostando na desmobilização de tais categorias, a Prefeitura ofereceu um índice de meros 7% de reajuste, mas os sindicatos rejeitaram a proposta e convocaram uma nova assembléia unificada. Essa assembléia, realizada em conjunto com uma paralisação, ocorreu no dia 12 de maio e contou com mais de 5 mil servidores, que disseram não à proposta de 7% e aprovaram a convocação de uma nova assembléia com paralisação e indicativo de greve para o dia 20 do mesmo mês.

Em seguida, os presentes saíram em passeata pelas ruas do centro da cidade denunciando o descaso da administração tucana com os servidores e sua política de privatização, terceirização e destruição do serviço público, provando mais uma vez que, apesar das diferenças entre as centrais, no momento da luta a unidade da classe trabalhadora é a única via que levará à vitória.

Nessa nova assembléia foi votada com grande entusiasmo uma vitoriosa paralisação de oito dias, na qual os servidores municipais de Juiz de Fora mostraram para toda a população a importância da unidade da classe trabalhadora.

Esses bravos trabalhadores realizaram uma bela demonstração de força para a Administração Custódio Mattos, que traz para Juiz de Fora a mesma política aplicada por Aécio Neves e José Serra. É a política do arrocho salarial, dos ataques aos direitos conquistados e da privatização dos serviços públicos. Depois de várias recusas de negociação e ameaças de descontos dos dias paralisados e até mesmo de demissões, finalmente o Prefeito foi para a mesa de negociações. Em termos salariais, os trabalhadores não conseguiram grandes avanços, há não ser um cronograma de reposição das perdas de 2009 que se concluirá em 2012. Estes conseguiram também impor um recuo na Administração na questão do corte de ponto e das demissões.

Mas, a maior vitória dessa luta foi política. Depois de mais de 10 anos sem um movimento de greve na base dos servidores municipais, os trabalhadores saíram dessa batalha de cabeça erguida e com uma nova consciência: a de classe trabalhadora, deixando para a Administração Custódio Mattos um desgaste que provavelmente será irreversível.

Nós do Coletivo Lenin, que participamos ativamente de todo o processo, parabenizamos os bravos servidores municipais de Juiz de Fora, que se lançaram nessa batalha e conseguiram inclusive o apoio e presença de diversos sindicatos de outros ramos, resgatando assim o movimento sindical combativo nessa cidade.

Viva a luta da classe trabalhadora!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Mais lidas nesse mês:

Mais lidas do blog:

SEGUIDORES